Última hora

Última hora

Primeiras estimativas dão vitória à lista do primeiro-ministro iraquiano

Em leitura:

Primeiras estimativas dão vitória à lista do primeiro-ministro iraquiano

Tamanho do texto Aa Aa

Começou a contagem dos votos, no Iraque, mas os resultados oficiais só são esperados no final do mês. Segundo as primeiras estimativas, a lista do actual primeiro-ministro iraquiano é a vencedora, mas sem maioria suficiente para formar governo.

A Coligação Estado de Direito, de Nouri Al-Maliki, terá, assim, vencido nas nove províncias xiitas do Sul, ao passo que o Bloco Iraquiano, do antigo primeiro-ministro Ayad Allawi, estará à frente, nas quatro províncias maioritariamente sunitas.

Mishann al-Saadi, porta-voz do Bloco Iraquiano alega, contudo, que houve fraudes: “Pensamos que a fraude vai continuar, como Ayad Allawi disse ontem. E Allawi avisou a Alta Comissão Eleitoral Independente desta fraude.”

Sessenta e dois por cento dos 19 milhões de eleitores foi votar. Um voto que, para o embaixador norte-americano no Iraque, Christopher Hill, decorreu sem incidentes de maior: “As nossas equipas, que visitaram diferentes assembleias de voto, ficaram admiradas, tudo funcionava como em qualquer outra assembleia de voto. Algumas pessoas tiveram dificuldade em encontrar o nome nas listas e outras tiveram de andar mais do que o previsto, por causa das medidas de segurança nas ruas.”

Nestas segundas eleições após a queda de Saddam Hussein joga-se o futuro do Iraque. Tanto mais que os militares norte-americanos vão deixar o país até ao final do próximo ano.

Mas, segundo o general Ray Odierno, comandante das tropas americanas no Iraque, só dentro de uns dez anos é que se poderá avaliar se a campanha militar foi ou não bem-sucedida.