Última hora

Última hora

Chopin: o ícone polaco

Em leitura:

Chopin: o ícone polaco

Tamanho do texto Aa Aa

Varsóvia está a celebrar os 200 anos do nascimento de Chopin. Na capital polaca, o autor dos “Nocturnos” faz furor. Falámos sobre o compositor e sobre outras coisas com o jovem e mundialmente conhecido intérprete chinês do trabalho de Chopin, Yundi Li.

O último ensaio, antes da grande gala, encerra uma série de concertos comemorativos do ducentésimo aniversário do nascimento de Frederic Chopin, em Varsóvia.

Yundi Li é um pianista chinês mundialmente aclamado. Em 2000, quando tinha apenas 18 anos, ganhou o prestigiado prémio Chopin para Piano, em Varsóvia. Desde aí tornou-se uma estrela não só na Ásia, mas por todo o mundo.

“Ao fim de dez anos, sinto-me cada vez mais próximo de Chopin. Ele é tão claro, tão puro , tão simples e tão bonito. Muito profundo.
Há dez anos, tocava Chopin num estilo mais académico, agora sinto-me mais livre, e como ser humano tenho uma maior experiência. Estou mais relaxado, é mais fácil a forma como interpreto Chopin, mais simples”.

Varsóvia celebra o seu filho mais famoso
O pai de Chopin era francês, a mãe polaca e foi na Polónia que passou a primeira metade da sua vida. Um prodigioso músico e compositor, Chopin já era célebre na Europa durante a dolescência.
Compôs a maior parte das suas obras em França, em apenas 20 anos, rodeado dos maiores vultos da época, amado pelas mulheres mais belas, apoiado por muitos polacos no exílio e animado sempre por um fervor criativo e uma forte nostalgia da sua terra natal.

Hoje, este génio romântico que morreu aos 39 anos, é um verdadeiro ícone polaco, um produto de marketing e uma figura tão venerada que o parlamento polaco declarou formalmente o ano de 2010 como o “Ano de Chopin”.

Também Yundi Li se considera a si próprio como uma espécie de romântico do século XXI, numa versão mais hedonística:

“Tenho um estilo muito romântico. Gosto de ir a bons restaurantes, sentar-me e comer bem, gosto de vinho tinto, gosto de conduzir bons carros como o Ferrari – tenho um Ferrari 430. Sou um grande apreciador de carros. Sou um apaixonado e adoro tocar no mundo inteiro. Penso que é também um grande momento interpretar este compositor genial”

Varsóvia evoca e revive a época de Chopin. A prova é que este artista, que foi capaz de captar a essência da alma do seu país ainda paira na capital polaca. Até mesmo a Varsóvia contemporânea está determinada a manter-se como a cidade de Chopin.

Nesta reportagem ouvem-se as seguintes peças de Chopin, interpretadas por Yundi Li:

Nocturno Opus 27 N° 2
Grande Polaca, Op 22
Nocturno Opus 9 N° 2