Última hora

Última hora

Arménia está satisfeita com resolução sueca

Em leitura:

Arménia está satisfeita com resolução sueca

Tamanho do texto Aa Aa

Em Yerevan, capital da Arménia, as notícias sobre a resolução aprovada pelo parlamento sueco são bem acolhidas.

O secretário de estado para os negócios estrangeiros é uma das vozes do contentamento.

“O reconhecimento do “genocídio” perpretado pelo Império Otomano na primeira grande guerra, bem como o reconhecimento de crimes contra a humanidade é muito importante, não só para os arménios mas para a humanidade”, confessou Arman Kirakosyan.

Apesar da posição irredutível da Turquia, na Arménia insiste-se que o regime de Ancara deve mudar de atitude.

“Os americanos reconheceram a escravatura, os alemães o holocausto. Da mesma forma, o governo turco devia reconhecer as acções contra o povo da arménia, cometidas pelos antigos governantes, não pelos actuais”, revela o economista Arthur Aghazhayan.

Segundo a Arménia, o Império Otomano assassinou, entre 1915 e 1917, um milhão e meio de arménios.

Com números diferentes, a Turquia reconhece os massacres mas rejeita o termo “genocídio”.