Última hora

Última hora

BCE quer informação correcta dos estados-membros

Em leitura:

BCE quer informação correcta dos estados-membros

Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, admite que a informação prestada ao Eurostat, pelos estados-membros, nem sempre foi correcta.

Numa entrevista à EuroNews, o principal responsável pela política monetária europeia, sublinha que, para as boas decisões, é necessária a boa informação.

EN – Senhor presidente, é aqui, no seu gabinete, que se tomam as grandes decisões, sobre política monetária…

Jean-Claude Trichet – Não exactamente. Aqui é o lugar de reflexão, meu e dos meus colegas da Comissão Executivo. Preparamos as reuniões numa outra sala, onde, naturalmente, tomamos as nossas decisões, de forma colegial, ao nível de orgãos executivos, ao nível do Conselho de Governadores dos Bancos Centrais da zona Euro”.

EN – Quando é que teve a noção da magnitude da crise grega?

Jean-Claude Trichet – Bem, nós tivemos a noção do problema, infelizmente, há vários anos, com números. Como sabe, houve um problema cíclico e estávamos convencidos que recebíamos os números correctos. Isso não é tolerável. Isso não deve ser tolerado, nem mais um segundo. Espero que os governos decidam…. porque nós consideramos que é um dever absoluto colaborar com a entidade europeia, o Eurostat, no cumprimento de regras, regras que eu considero máximas, globais e éticas, com respeito pela base de dados, que deve ter capacidade de acesso a todas as informações, que é algo que considero essencial.

EN – Ficou pessoalmente decepcionado com a Grécia, com alguém que, na zona Euro, tenha arrastado a Grécia para esta turbulência?

Jean-Claude Trichet – Esta instituição, desde a sua fundação, disse sempre a todos os governos, e isso é válido para a Grécia, naturalmente, e para todos os governos, que o Pacto de Estabilidade e Crescimento era absolutamente essencial, que era um pilar chave da União Monetária Europeia. Temos a União Monetária, e nós somos responsáveis pela União Monetária. Temos também a União Económica. E o Pacto de Estabilidade e Crescimento foi violado, a toda a hora, foi violado por diversos países. Eu, desde que fui escolhido por todos os meus colegas, tenho de lutar para preservar o Pacto de Estabilidade e Crescimento que se mantém absolutamente fundamental.