Última hora

Última hora

Jorgo Chatzimarkakis: As visões grega e alemã sobre a crise

Em leitura:

Jorgo Chatzimarkakis: As visões grega e alemã sobre a crise

Tamanho do texto Aa Aa

Jorgo Chatzimarkakis, eurodeputado alemão de origem grega, apresentou-nos um ponto de vista interessante sobre a crise actual, uma vez que combina as visões grega e alemã.

euronews: Senhor Chatzimarkakis, diria que os desenvolvimentos mais recentes, nesta crise do euro, têm um impacto negativo nas relações entre a Grécia e a Alemanha?

Jorgo Chatzimarkakis: A Grécia, tradicionalmente, tem relações muito muito amigáveis com a Alemanha. A Grécia também depende muito, economicamente, da Alemanha. Mas algumas situações ocorridas nas últimas duas semanas desenterraram ressentimentos do passado, e isso foi muito muito duro porque eu nunca pensei que estes ressentimentos regressassem tão facilmente e tão depressa. Decididamente é algo que tem a ver com o pânico perante a situação económica e a crise.

euronews: O que pensa das posições tomadas pela imprensa, tanto na Grécia como na Alemanha?

J. Chatzimarkakis: A imprensa é livre na Europa e nós podemos estar orgulhosos da liberdade de expressão. Eu, enquanto político, nunca lhe hei-de tocar. Contudo, houve exageros de ambos os lados, a começar, claro, pela revista Focus. E eu digo, claramente, que a expressão “traidor da euro zona” foi um cliché que não pode ser aplicado a todos os gregos, embora assim tenha sido entendido na Grécia. Isto, na minha opinião, deu início ao problema.

euronews: Descortina um crescimento do eurocepticismo na onda de descontentamento que se vive na Grécia?

J. Chatzimarkakis: Penso que, a curto prazo, as pessoas vão atravessar a crise em estado de choque e lançar as culpas à União Europeia. Mas, a longo prazo, este programa de estabilidade vai ajudar a ultrapassar a instabilidade do sistema grego, que sempre existiu ao longo dos anos. A longo prazo, os gregos vão perceber que vai modernizar a Grécia e que é bom para a Grécia.