Última hora

Última hora

Toyota não tem "explicação" para "aceleração incontrolável" de Prius

Em leitura:

Toyota não tem "explicação" para "aceleração incontrolável" de Prius

Tamanho do texto Aa Aa

As investigações ainda não terminaram, mas tudo parece indicar que não haja provas da “aceleração incontrolável” do Toyota Prius – como o condutor do veículo tinha declarado. James Sikes, de 61 anos, tinha feito um telefonema de urgência para a polícia, alegando que não conseguia parar o carro, que circulava a 151 km/hora.

Mas até agora, a Toyota não consegui repetir o problema e aponta o dedo aos media, como se percebe pelas palavras do porta-voz da empresa: “As análises ainda não terminaram, mas a Toyota acredita que há inconsistências significativas entre a descrição dos acontecimentos do dia 8 de Março e os resultados desta investigação. Dizer que este incidente foi mediatizado de maneira sensacionalista é pouco.”

O condutor, que conseguiu parar o veículo com o auxílio da polícia, mantém a sua versão dos factos. O advogado, John Gomez, recusa acusações de que o cliente se esteja a aproveitar do incidente, para fazer fortuna: “Este problema parece ser uma espécie de ‘fantasma’ no sistema informático do carro: não deixa marcas, não deixa qualquer registo no sistema e não se repete só porque lho pedimos.”

O incidente, ocorrido nos Estados Unidos, surge num momento crucial para a Toyota. O construtor japonês mandou recolher nove milhões de veículos, em todo o mundo, por problemas no acelerador. Desde então, diz a Toyota, o número de queixas por “acelerações incontroláveis” multiplicou-se “inexplicavelmente”.