Última hora

Última hora

Etarras procurados pela polícia francesa continuam a monte

Em leitura:

Etarras procurados pela polícia francesa continuam a monte

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia francesa continua as buscas para encontrar os alegados membros da ETA responsáveis pela morte de um polícia, num tiroteio perto de Paris.

Pelo menos oito pessoas, entre elas uma mulher, tentavam assaltar um concessionário de automóveis, quando foram surpreendidas pelas autoridades.

Aconteceu ontem à noite, em Dammarie-lès-Lys, a sudeste da capital francesa, mas a identidade dos suspeitos ainda é desconhecida.

“Os únicos factos que temos como prova são as testemunhas presentes no momento do tiroteio que se aperceberam da língua basca”, esclarece o polícia Samuel Roulle.

O único assaltante capturado foi identificado como Joseba Fernández Aspurz, procurado pelo envolvimento em actos de violência urbana.

O próprio etarra acabou por se identificar, em euskara, a língua basca.

O primeiro-ministro espanhol fala numa acção criminal da ETA.

“Estas condolências representam igualmente uma condenação radical desta acção criminal, dos terroristas da ETA. Quero exprimir a minha solidariedade e o reconhecimento pela França, aos polícias e ao governo francês”, disse José Luis Zapatero.

Aspurz é o oitavo membro da organização terrorista detido este ano em França.

O suspeito é conhecido como “El Guindi” e está fugido da polícia espanhola desde sexta-feira passada, quando membros de um colectivo judicial da Audiência Nacional de Espanha emitiram um mandado de captura internacional.

O etarra deverá agora ser presente a tribunal.

Segundo o jornal “Le Monde”, a ETA tem entre 50 a 80 elementos espalhados por território francês.