Última hora

Última hora

Sarkozy em "guerra aberta" contra a ETA

Em leitura:

Sarkozy em "guerra aberta" contra a ETA

Tamanho do texto Aa Aa

No rescaldo da morte do polícia francês, assassinado por um membro da ETA, em Dammarie-Les-Lys, no sudeste de Paris, Nicolas Sarkozy promete pulso firme.

O presidente francês assegura que a partir de agora, as autoridades gaulesas não vão ter contemplações para com elementos do movimento separatista basco.

“A ETA tem de perceber que a mobilização das forças policiais da república francesa contra a organização terrorista vai ser total e impiedosa”, assegurou Nicolas Sarkozy, esta quarta-feira, durante uma visita à esquadra de polícia onde trabalhava o polícia assassinado.

Para a próxima terça-feira, estão marcadas as cerimónias em memória do polícia assassinado.

Nicolas Sarkozy e o primeiro-ministro espanhol, Jose Luis Rodriguez Zapatero, deverão marcar presença, bem como Alfredo Rubalcaba, o ministro espanhol do interior.

Nesta altura, apenas uma pessoa, de um grupo de pelo menos cinco suspeitos, está detida. A polícia continua as buscas dos restantes elementos, entre eles uma mulher, que se encontram a monte.

A promessa de Sarkozy para tranquilizar os franceses coincide com a altura em que o país se prepara para ir a votos, na segunda volta das regionais, marcadas para este domingo.