Última hora

Última hora

Internautas chineses reagem ao fecho do Google

Em leitura:

Internautas chineses reagem ao fecho do Google

Tamanho do texto Aa Aa

A decisão da Google de fechar portas na China gera sentimentos diversos entre a população.

Em frente à sede da empresa, foram colocadas flores como se se tratasse do enterro da liberdade de expressão.

“Se o motor Google regressa, espero que não seja censurado”, diz um estudante.

Após uma batalha de dois meses contra o regime comunista, o gigante da Internet anunciou ontem que não queria continuar a censurar os resultados das pesquisas num mercado de 400 milhões de Internautas, como exigia Pequim.

Há quem concorde com a atitude de Pequim.

“Todas as empresas estrangeiras na China devem respeitar as leis chinesas. A Google tem as suas regras. A batalha entre a Google e o governo chinês é um problema das duas partes. Os internautas chineses não têm pena da saída de Google”, afirma Chen Yafei, especialista em tecnologias e Internet.

A partir de agora, os chineses que entrem no site chinês google.cn são dirigidos para o site de Hong Kong, onde, apesar dos esforços da Google, continua igualmente a haver censura.