Última hora

Última hora

Pirata do "twitter" quis mostrar insegurança na internet

Em leitura:

Pirata do "twitter" quis mostrar insegurança na internet

Tamanho do texto Aa Aa

O pirata informático francês – que pôs em alerta o FBI há vários meses – tem pouco mais de vinte anos, vive com os pais e quis simplesmente mostrar como é fácil controlar a internet.

Francois Cousteix vai ser julgado a 24 de Junho e arrisca-se a uma pena de prisão de dois anos e trinta mil euros de multa.

“Eu queria mostrar que ninguém estava protegido na internet, tanto as grandes empresas como os simples internautas”, confessou aos jornalistas. “A sociedade é o Twitter. Por isso, procurei pessoas com importância social, como o fundador do Twitter, Evan Williams, e outras pessoas”.

O jovem conseguiu inscrever o seu nome na lista dos “hackers” mundiais. Foi manchete em vários jornais e a sua casa foi invadida por agentes do FBI e pela polícia francesa.

A mãe conta que “havia quatro polícias do FBI, mas que eram todos simpáticos, muito abertos e dispostos a ouvir o filho.”

François Couteix foi detido na terça-feira, em Beaumont, no centro de França, e libertado um dia depois.

O FBI estava a investigar o caso desde Julho, depois da conta do Twitter de Barack Obama ter sido invadida, assim como a de outras personalidades norte-americanas.

O jovem conseguiu recriar as senhas dos administradores do Twitter, através da recolha de dados biográficos publicados na internet. E segundo as autoridades, conseguiu controlar esta rede social.