Última hora

Última hora

Crime na Internet

Em leitura:

Crime na Internet

Tamanho do texto Aa Aa

Cuidado com as palavras-chave! O cibercrime é uma ameaça global e pode afectar desde as grandes empresas ao cidadão comum. Roubar uma identidade na internet e utilizá-la para fins ilícitos é na verdade muito fácil. O exemplo foi dado por um adolescente francês que descodificou a password de Barack Obama no Twitter e se fez passar pelo presidente americano.

A cidade francesa de Lille acolhe durante dois dias o IV Fórum Internacional sobre o Cibercrime.

Laurent Bounameau, da polícia federal belga:
“Globalmente, a ameaça mais frequente, seja por intermédio do correio indesejável ou das redes sociais que estão muito em voga actualmente, é o roubo de identidade. Não é difícil reorientar o utilizador para sites onde é possível apropriar-se da sua identidade. A partir daí começam as burlas, as fraudes na internet, a piratagem das contas bancárias. Desta forma é também possível infectar os computadores e inseri-los numa rede zombie que serve de trampolim para atacar empresas e sites governamentais. Trata-se da ciberguerra como a concebemos actualmente.”

O problema ultrapassa as fronteiras dos Estados e são cada vez mais as vozes que reclamam uma regulação internacional para os crimes na internet.

Laurent Bounameau, da polícia federal belga: “Um estudo efectuado junto a meia centena de empresas de França e de outros países revelou que a maioria dos ataques informáticos tem origem na Rússia, em segundo lugar surge a China, em seguida a Nigéria e finalmente outros países como a África do Sul.”

A primeira precaução passa por evitar passwords com o nome dos filhos, dos pais, do cão ou do gato. Um conselho difícil de aplicar quando somos confrontados com uma imensidão de contas na internet.