Última hora

Última hora

Rússia identifica "viúvas negras" do atentado em Moscovo

Em leitura:

Rússia identifica "viúvas negras" do atentado em Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Zhannet Abdullaieva, 17 anos, foi identificada como uma das duas bombistas suicidas que se fez explodir no metro de Moscovo. Trata-se da viúva de um combatente rebelde abatido a 31 de Dezembro e conhecido como o “emir do Daguestão”.

A informação foi confirmada pelo comité antiterrorista russo, que identificou os organizadores e os kamikazes dos ataques desta semana em Moscovo e em Kizliar.

Segundo o último balanço oficial, o atentado no metro de Moscovo, na segunda-feira, fez 40 mortos e mais de 80 feridos.

O ataque na capital foi reivindicado por Dokou Oumarov, conhecido como o “emir do Cáucaso”. Num vídeo publicado quarta-feira, o líder rebelde explicou que se tratava de uma vingança contra uma operação das forças russas na Inguchétia a 11 de Fevereiro e prometeu novos atentados.

De acordo com a imprensa russa, a segunda kamikaze teria 20 anos e era a viúva de um guerrilheiro checheno.

Dois dias depois do ataque em Moscovo, outro atentado na cidade de Kizliar, junto à fronteira do Daguestão com a Chechénia, matou 12 pessoas e deixou 29 feridas.

Esta sexta-feira, o presidente russo assegurou que a investigação sobre os dois atentados está a “avançar rapidamente”.