Última hora

Última hora

Sudão: Adversários de al-Bashir boicotam presidenciais  

Em leitura:

Sudão: Adversários de al-Bashir boicotam presidenciais  

Tamanho do texto Aa Aa

A menos de duas semanas das eleições presidenciais no Sudão, os principais partidos da oposição retiraram-se da corrida, deixando antever a reeleição do actual presidente, Omar al-Bashir.

Esta quinta-feira, quatro partidos abandonaram a candidatura às primeiras presidenciais multipartidárias dos últimos 25 anos. A decisão ocorre depois do “boicote total” do principal rival de al-Bashir, Yasser Arman, do Movimento Popular de Libertação do Sudão.

Yasser Arman disse, em conferência de imprensa, que “as eleições presidenciais foram feitas para uma pessoa, não para um processo democrático ou para o povo sudanês, mas para salvar o general Bashir do Tribunal Penal Internacional”.

Sobre Al-Bashir recai um mandado de captura do TPI por crimes de guerra e contra a humanidade cometidos no Darfur.

Os candidatos que boicotam o escrutínio falam em processo eleitoral falseado e na impossibilidade de fazer campanha no Darfur, em guerra civil desde 2003.

O enviado especial dos Estados Unidos para o Sudão tenta salvar a credibilidade das presidenciais.

Além deste escrutínio, entre 11 e 13 de Abril, realizam-se as eleições regionais e legislativas. Os partidos da oposição ainda não anunciaram se também as boicotam.