Última hora

Última hora

África do Sul: Sede de vingança após assassínio de Eugène Terre'Blanche

Em leitura:

África do Sul: Sede de vingança após assassínio de Eugène Terre'Blanche

Tamanho do texto Aa Aa

O Movimento de Resistência Afrikaner promete vingar Eugène Terre’blanche, dirigente de extrema- direita, assassinado este sábado.

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, apela à calma, alertando contra qualquer provocação que alimente o “ódio racial”.

Eugène Terre’Blanche, chefe dos serviços secretos sul-africanos no apartheid, foi encontrado morto na sua exploração agrícola. De acordo com a polícia, foi espancado até à morte por dois jovens trabalhadores, por problemas de salários.

Apesar de prometer vingança, o partido de Terre’Blanche apela à calma. Mas há quem fale em tensões raciais e diga temer um massacre dos “boer”, a população “afrikaner” branca.

Uma mulher acusa o líder do movimento da Juventude do ANC de “incitar à morte dos brancos com um cântico e de ter passado ao acto”. Agora, pergunta-se quem vai ser a próxima vítima.

O cântico em questão fala em “morte ao boer, morte ao fazendeiro” e era entoado na época do Apartheid. Foi recuperado pelo líder da ala juvenil do partido no poder, Julius Malema.

A justiça ilegalizou a canção, considerando que incitava à violência racial. O partido de Terre’Blanche não hesitou em ligar o assassínio ao cântico.