Última hora

Última hora

Comemorações sentidas no 1.° aniversário do sismo de L'Aquila

Em leitura:

Comemorações sentidas no 1.° aniversário do sismo de L'Aquila

Tamanho do texto Aa Aa

Um ano depois, a Itália comemora o terramoto de L’Aquila. Foi na madrugada de 6 de Abril de 2009 que a terra tremeu, na capital da região dos Abruzos. Foi um sismo de magnitude 6,3 na escala de Richter que matou 308 pessoas.

Às 3h32 desta madrugada, hora exacta a que, há um ano, a terra tremeu, o sino da igreja de Santa Maria del Suffragio, bateu 308 badaladas – uma em memória de cada uma das vítimas mortais.

Vinte e cinco mil pessoas reuniram-se na praça da Catedral, depois de uma longa marcha, pelas ruas do centro da cidade, que continua inabitável.

Eram familiares mas também simples cidadãos e voluntários que participaram nas operações de salvamento. Alguns, empunhavam as fotos dos familiares desaparecidos – mas sempre presentes na memória. É o caso de uma mãe, que chora o filho: “Pensar que o meu filho estava aqui, super-feliz… Tinha 22 anos, estudava Letras e tinha as melhores notas com felicitações do juri. O seu sonho era ir mais além, os estudos, a arte… e pronto!”

Recordar o passado é importante, mas olhar para o futuro também é necessário. Das 120 mil pessoas que moravam em L’Aquila, 52 mil ainda não puderam regressar às suas casas. E há quem não se esqueça delas. Um jovem afirma: “Agora é preciso começar a pensar nos que sobreviveram em L’Aquila. L’Aquila continua a ser uma cidade fantasma um ano após o tremor de terra e isso, penso, é inaceitável”