Última hora

Última hora

Tailândia: gás lacrimogéneo e canhões de água contra "camisas vermelhas"

Em leitura:

Tailândia: gás lacrimogéneo e canhões de água contra "camisas vermelhas"

Tamanho do texto Aa Aa

Subida de tensão em Banguecoque, com as forças de segurança a recorrerem pela primeira vez a gás lacrimogéneo e canhões de água para tentarem dispersar uma manifestação dos “camisas vermelhas”.

Apesar do estado de emergência decretado na capital tailandesa, a oposição organizou uma marcha para recuperar o controlo da televisão “Canal do Povo”, principal utensílio de propaganda dos “camisas vermelhas” censurado pelo poder.

Os cerca de quatro mil polícias e militares destacados acabaram por abandonar o local.

O exército tailandês tinha ameaçado recorrer à força para fazer respeitar as medidas excepcionais decretadas em Banguecoque, mas o regime teme um banho de sangue, depois das manifestações de há um ano, que fizeram dois mortos e mais de 120 feridos.

Uma manifestante diz que o estado de emergência “não é justificável, porque há mulheres, crianças e idosos nos protestos. Estão verdadeiramente desarmados e nas mãos do destino”.

O governo decretou um reforço maciço das forças de segurança, que contam agora com 80 mil polícias e soldados para tentar controlar os protestos.

A Justiça tailandesa emitiu novos mandatos de captura contra 24 responsáveis do movimento dos “camisas vermelhas”.