Última hora

Última hora

Italianos acusados de preparar atentado com talibãs

Em leitura:

Italianos acusados de preparar atentado com talibãs

Tamanho do texto Aa Aa

Três italianos da Organização Não Governamental Emergency foram presos este sábado, em Lashkar Gah, no sul do Afeganistão.

São acusados de preparar um ataque com os talibãs para matar o governador da província de Helmand.

Na mesma acção foram detidos ainda seis afegãos.

As autoridades justificaram as medidas depois de encontrarem vários coletes de explosivos, granadas e munições no interior de um hospital comandado pela ONG.

O líder da Emergency fala numa estratégia para silenciar a organização.

“Estou chocado com o que aconteceu ontem. Foi declarada uma guerra contra um hospital. É uma guerra preventiva, porque somos testemunhas oculares desconfortáveis”, disse Gino Strada.

A Emergency já denunciou a morte de vários civis, provocada pelas operações da NATO no Afeganistão.

Acusa agora o governo do presidente Amid Karzai de estar envolvido nas operações, com o apoio das Nações Unidas.

Em Helmand, os afegãos gritam pelo afastamento das tropas italianas.

“Exigimos que o Governo e o parlamento afegãos expulsem a tropas italianas do país porque estão envolvidos em violência e em actividades anti-governamentais no pais”, diz Ghulam Jailini, um manifestante.

Os três italianos são acusados de receber 450 mil euros para avançar com o atentado.

O Governador da província de Helmad diz que o grupo pode agora enfrentar a pena de morte, condenados como “combatentes insurgentes estrangeiros”.