Última hora

Última hora

Comissão de inquérito aponta o dedo a antigos altos responsáveis da Islândia

Em leitura:

Comissão de inquérito aponta o dedo a antigos altos responsáveis da Islândia

Tamanho do texto Aa Aa

O antigo primeiro-ministro da Islândia, Geir Haarde, o ex-governador do Banco Central David Oddson e cinco outras altas individualidades foram acusados de negligência grosseira e de terem permitido o colapso do sector financeiro do país.

A conclusão vem de um comité de investigação, baptizado “Comissão da Verdade”, composto por peritos nomeados pelo parlamento.

“O parlamento precisa de começar a rever muitas leis relativas ao mercado financeiro. Precisa também de um novo quadro legal para o sector bancário e de dar aos reguladores novos poderes”, disse Pall Hreinsson, presidente deste comité.

A comissão de inquérito diz que a culpa da crise que atingiu o país em cheio e obrigou a Islândia a recorrer ao FMI é do crescimento desmesurado dos bancos. Em sete anos, os três principais bancos do país cresceram 20 vezes. Estes bancos viriam a entrar em colapso no pico da crise, no Outono de 2008, arrastando toda a economia islandesa.