Última hora

Última hora

Títulos gregos sobem com decisão da Eurozona

Em leitura:

Títulos gregos sobem com decisão da Eurozona

Tamanho do texto Aa Aa

As acções e obrigações gregas começaram a semana em forte alta, depois dos 16 membros da Zona Euro terem chegado a acordo sobre a ajuda a oferecer.

A Grécia pode receber dos parceiros da Eurozona 30 mil milhões de euros, sob a forma de vários empréstimos a três anos, com um juro de 5%.

Esta quantia surpreendeu os analistas, como Vassilis Vlastarakis: “Ninguém estava à espera de que uma quantia tão grande fosse posta em cima da mesa. Ficámos contentes, também não prevíamos. Agora temos de esperar pela reacção dos mercados, em especial dos mercados de obrigações. Estamos à espera de uma diminuição substancial dos spreads”.

Esta oferta segue-se aos 10 mil milhões de euros oferecidos pelo FMI. Por enquanto, a Grécia tem preferido não recorrer a estas ajudas e tentar auto-financiar a dívida, através da emissão de obrigações.

Explica o economista Vangelis Agapitos: “A curto prazo, a Grécia precisa de taxas de juro mais baixas. Se as taxas não caem, vão ter de usar o mecanismo. Tem sido um efeito dominó. A Grécia prometeu, agora foi a Europa que prometeu. A Grécia tem agora a arma na mão e tem que usá-la, se os spreads não descerem”.

A cotação do euro também reagiu em forte alta às notícias sobre a Grécia. A moeda chegou à marca de 1,36 dólares.

O euro desceu já mais de 4% este ano, por culpa da crise causada, essencialmente, pela situação da Grécia.