Última hora

Última hora

Futebol em nome de um futuro melhor

Em leitura:

Futebol em nome de um futuro melhor

Tamanho do texto Aa Aa

Na escola primária de Mahlasedi Masana, no distrito de Mamelodi, África do Sul, está em marcha um programa educacional. Aproveita a euforia pelo futebol como uma ferramenta educativa, para ajudar crianças pobres e desfavorecidas a gerir as próprias vidas, contra um ambiente caseiro caótico.
 
“Esta é uma das áreas denominadas como as mais pobres entre as pobres, onde muitos pais da comunidade escolar estão desempregados. Por isso, torna-se difícil para a escola atender a algumas necessidades”, revela Joe Vuma, o director da escola.
 
“Depois há o problema dos abusos dentro da própria casa. Alguns deles são abusados desde muito pequenos, aí com seis anos. Na escola temos muitas crianças vítimas de abuso, principalmente rapazes que são sodomisados. Mas também há meninas que são violadas por alguns elementos da família”, acrescenta Kate Mokoke, treinadora.
 
Nosipho Mafu também é responsável por algumas equipas. A dirigente destaca sobretudo o poder de união do desporto.
 
“Eles gostam muito de lutar, mas aqui, na rua do futebol até fazem amigos e formam uma equipa. Algumas famílias são chefiadas por estes jovens”, diz.
 
O projecto faz parte da estratégia para o desenvolvimento celebrada entre a África do Sul e a Alemanha.
 
Conta com apoios da União Europeia e é posto em marcha pela Fundação Alemã para a Cooperação Técnica. Usa o desporto e as artes do espectáculo como arma educativa. 
 
“Este programa é holístico. Não está concentrado apenas no desporto. Também é voltado para a moral, competências para a vida. Ajuda as crianças a crescer na totalidade. Sim, estamos a beneficiar muito com isto”, diz o director da escola primária de Mahlasedi Masana.
 
Aqui ensinam-se artes de palco, capacidades de liderança, respeito pela natureza e pela comunidade. Discutem-se também temas da actualidade.
 
Mahlasedi Masana esforça-se por melhorar o ambiente em casa e está a dar alguns resultados, apesar das dificuldades logísticas, como por exemplo, o problema das deslocações para participar em campeonatos.