Última hora

Em leitura:

"Kaczynski era odiado por algumas pessoas"


Polónia

"Kaczynski era odiado por algumas pessoas"

Foram precisos 4 dias de luto e uma decisão polémica para acabar com a aparente união da Polónia em torno do desaparecimento do Presidente e de importante parte da elite política e institucional do país.

A contestação saiu às ruas após a decisão de enterrar Lech Kaczynski no Panteão nacional.

“Lech Kaczynski era odiado por algumas pessoas e ele era um lutador, por isso é normal que existam desentendimentos, discussões, mas a decisão foi tomada, não pela família, mas exactamente pela igreja”, diz o biógrafo dos irmãos Kaczynski, Michal Karnowsky.

É na catedral de Wawel, em Cracóvia, ao lado dos restos mortais dos grandes símbolos da nação polaca que vai ser enterrado o nacionalista e eurocéptico Kaczynski, uma figura política pouco consensual.

Michal Karnowsky considera que Varsóvia teria sido uma melhor opção. “Ele pode ser enterrado em Cracóvia, mas acho que o melhor lugar seria mesmo Varsóvia e Powolsky, no antigo cemitério, porque Lech Kaszinski foi presidente da Câmara de Varsóvia, e ele amava esta cidade e a cidade gostava de ele”, diz.

O corpo do presidente está em câmara ardente no palácio presidencial em Varsóvia.

O enterro realiza-se no Domingo. Várias personalidades mundiais vão marcar presença, casos dos presidentes norte-americano e russo.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte

mundo

Aeroportos do norte da Europa encerrados