Última hora

Última hora

Inquérito da ONU é arrasador para autoridades paquistanesas

Em leitura:

Inquérito da ONU é arrasador para autoridades paquistanesas

Tamanho do texto Aa Aa

As conclusões do inquérito das Nações Unidas ao assassinato de Benazir Bhutto são arrasadoras para as autoridades políticas, militares e policiais paquistanesas.

A equipa de três investigadores da ONU acusa o governo Pervez Pusharraf de pouco ter feito para prevenir o ataque, considera que na altura as investigações foram displicentes e levanta suspeitas de envolvimento dos serviços secretos.

O inquérito da ONU e foi chefiado pelo embaixador do chileno nas Nações Unidas Heraldo Munoz:
“As autoridades paquistanesas têm ainda a responsabilidade de fazer aquilo que não foi feito, no caso do assassinato de Benazir Bhutto, ou seja, levar a cabo uma investigação criminal séria que determine quem concebeu, planeou e executou o hediondo crime, e levar os responsáveis perante a justiça.”

Os investigadores da ONU acusam também as actuais autoridades paquistanesas de terem dificultado seriamente o inquérito que levaram a cabo durante 9 meses.

Na altura, em Dezembro de 2007, o governo de Pervez Musharraf atribuiu a autoria à al-Qaida e aos Talibãs mas Bhutto era uma grande rival do na altura chefe de Estado, daí os rumores de que o ataque foi levado a cabo por aliados de Musharraf.