Última hora

Última hora

Polónia diz último adeus a Kaczynski

Em leitura:

Polónia diz último adeus a Kaczynski

Tamanho do texto Aa Aa

Uma semana depois do terrível desastre aéreo, o presidente Lech Kaczynski e a mulher foram a enterrar em Cracóvia, a antiga capital Polaca.

Sob o olhar de dezenas de milhares de pessoas, os caixões do casal presidencial seguiram em procissão para a Catedral de Wavel, o Panteão Nacional, onde repousam os restos mortais de reis, heróis e poetas da nação polaca.

Momentos antes, decorreu na Basílica de Santa Maria a Missa Fúnebre, presenciada pelas principais figuras políticas do país e por vários dignitários internacionais.

No final da homilia, o chefe de Estado interino proferiu um discurso em que incluiu apelos à reconciliação total entre a Polónia e a Rússia.

Bronislaw Komorowski afirmou que “o sonho polaco, que iria ser honrado em Katyn pelo Presidente, vai finalmente ser concretizado” e que os Polacos poderão “conhecer toda a verdade sobre o crime de Katyn”. Disse Komorowski que “a Polónia tem essa esperança graças aos gestos e palavras da nação russa e do Presidente que está aqui em Cracóvia”.

Lech Kazcinsky e outras 95 pessoas, a maioria altos dirigentes políticos e militares, morreram a 10 de Abril quando se dirigiam para render uma homenagem aos mais de vinte mil polacos mortos na floresta russa de Katyn pelas forças soviéticas.

O presidente do Parlamento Europeu, Jersy Buzek, foi uma das figuras presentes. Muitas outras personalidades como Barack Obama, Nicolas Sarkozy ou Angela Merkel anularam as viagens devido às interdições no espaço aéreo europeu motivadas pelas cinzas do vulcão islandês.