Última hora

Última hora

Passageiros retidos nos aeroportos reclamam direitos

Em leitura:

Passageiros retidos nos aeroportos reclamam direitos

Tamanho do texto Aa Aa

À medida que o tráfego regressa à normalidade, aumentam os passageiros que pedem contas às companhias aéreas, depois da paragem forçada por causa da nuvem de cinzas.

A maioria exige indemnizações, mas as regras em vigor na Europa não dão resposta ao problema destes viajantes, que começam a perder a paciência.

“Paga-se muito pelos voos. Espero que as companhias aéreas cuidem dos seus passageiros”.

“É uma piada. Se se viaja com a Ryanair é porque é barato, mas depois tem de se gastar 400 ou 500 euros para ficar aqui ou para voltar para casa. É uma piada. Devíamos denunciá-lo”.

De acordo com a lei, os passageiros têm direito ao reembolso do bilhete ou à marcação de uma nova rota. A companhia low-cost Ryanair já disse que não vai pagar indemnizações.

“Nunca recusámos pagar. Só dissemos que íamos propor limitar os pagamentos aos preços do bilhete pago. Vamos reembolsar recibos de despesas de passageiros deslocados se eles nos enviarem. Não vamos pagar compensações porque a normativa EU261 diz que não deve ser atribuída uma compensação se os cancelamentos não são culpa das companhias”.

Os passageiros também devem ter acesso a bens básicos como bebidas, refeições e alojamento.

Este endereço electrónico explica os direitos e deveres dos viajantes.

http://ec.europa.eu/transport/passangers