Última hora

Última hora

Crise e tensão política na Tailândia

Em leitura:

Crise e tensão política na Tailândia

Tamanho do texto Aa Aa

Mantém-se a tensão política na Tailândia, com troca de acusações, entre as dusas partes do conflito.

Isto, um dia depois do confontos que mataram uma pessoa e feriram 88.

Já se queimam camisas vermelhas, o símbolo dos opositores ao regime.

E não faltam acusações. Um estudante universitário aponta o dedo aos que têm pedido o fim do regime e eleições:

“Os camisas vermelhas têm de assumir as suas responsabilidades em relação ao que aconteceu, porque nós todos sabemos que tudo veio dos camisas vermelhas e da sua acção”.

A zona financeira de Bangcoque apresentava, esta sexta-feira, um aspecto calmo, mas há a consciência de que, a qualquer momento, a violência pode regressar às ruas da capital.

Um dos lideres dos protestos refuta as acusações e diz que o movimento não vai desistir.

“Nós não atacamos os tailandeses. A cor das nossas camisas não fere, nem mata, nesta crise política. Os nossos objectivos são as mudanças políticas, queremos ver a democracia de volta à Tailândia, em paz”

Um diferendo cheio de sangue, de feridos e mortos.

Os protestos duram há semanas, com um balanço sangrento. A 10 de Abril, morreram 25 pessoas e mais de 800 ficaram feridas.

As homengens às vítimas sucedem-se, e os locais dos acontecimentos tornaram-se destino de romagens.