Última hora

Última hora

Direita favorita na segunda volta eleitoral húngara

Em leitura:

Direita favorita na segunda volta eleitoral húngara

Tamanho do texto Aa Aa

A Hungria vai a votos amanhã para a segunda volta das legislativas.

Na primeira, os conservadores do Fidesz, liderados por este homem, Viktor Orban, venceram com uma vantagem confortável.

As sondagens indicam que a direita deve repetir a vitória do passado dia 11 e obter, sem problemas, os dois terços dos assentos no parlamento – dando o golpe de misericórdia aos socialistas, do MSZP, até agora no poder.

A terceira força política do país, da extrema-direita xenófoba, Jobbik, beneficiou do descontentamento de uma parte dos oito milhões de eleitores, e deve ganhar mais pontos nesta segunda volta.

Na rua, o favoritismo parece virar-se para a direita:

Esta mulher considera que o Fidesz deve vencer porque o governo socialista não fez nada.”

Este homem afirma que “dois terços de maioria para o Fidesz vai ser bom para a economia num país com muitos desempregados. Tenho muitos familiares sem emprego há mais de seis meses, por isso o próximo governo deve criar postos de trabalho.”

A Hungria faz frente a uma taxa de desemprego de mais de onze por cento, a mais elevada desde 1994. Como o país pediu um empréstimo de 20 mil milhões de euros em 2008 para tentar dinamizar a economia, o novo executivo não terá muita margem de manobra caso necessite de fundos.

Os observadores internacionais apontam para a má gestão e corrupção dps executivos anteriores como algumas das razões para o estado da economia nacional, além da crise económica e financeira mundial.

Tudo indica que os conservadores do Fidesz chegraão aos 265 lugares, os socilistas aos 58 e o Jobbik aos 48.