Última hora

Última hora

Espanhóis manifestam-se a favor e contra Garzon

Em leitura:

Espanhóis manifestam-se a favor e contra Garzon

Tamanho do texto Aa Aa

Solidariedade para com as vítimas foi o que pediram, este sábado, centenas de pessoas em Madrid.

As manifestações contra a impunidade do franquismo e de apoio ao juiz Baltasar Garzon estenderam-se a toda a Espanha e a Lisboa onde dezenas de pessoas se concentraram frente à embaixada espanhola. O cineasta Pedro Almodovar participou no protesto em Madrid.

Na capital espanhola o porta-voz da Human Rights Watch frisou que os governos têm a obrigação jurídica de olhar pelas vítimas e pergunta porque teriam, as vítimas do franquismo, menos direitos que as do regime de Pinochet?

Baltasar Garzon está na mira do Supremo Tribunal espanhol pela tentativa de investigação dos mais de cem mil desaparecidos durante a Guerra civil espanhola e os primeiros anos do Franquismo.

Para o juiz estes crimes não prescrevem, a procuradoria diz que os crimes se enquadram na lei de amnistia de 1977.

A Falange Espanhola, partido que denunciou Garzon por considerar que investigou os desaparecimentos sem ter competência para tal, manifestou-se também este sábado na capital espanhola.

Um manifestante afirma que Garzon se empenhou em dar a volta à história, em tentar desenterrar os mortos, mas não em encontrá-los e pô-los ao alcance das suas famílias, apenas para dar a volta à história.

A demonstração pública contra o juiz acontece um dia depois do Supremo ter expulsado este partido de extrema-direita do processo contra Baltasar Garzon.