Última hora

Última hora

Presidenciais: Extrema-direita posicionada para conquistar terreno na Áustria

Em leitura:

Presidenciais: Extrema-direita posicionada para conquistar terreno na Áustria

Tamanho do texto Aa Aa

O grande favorito à presidência austríaca ser o actual chefe de Estado e líder dos sociais-democratas, Heinz Fischer, que as sondagens atribuem até 82 por cento dos votos.

Mas a extrema-direita encabeçada por Barbara Rosenkranz, pode tornar-se na segunda força política com até 16 por cento dos votos.

Com 51 anos, a chamada “mãe do Reich” lidera o Partido Liberdade desde que morreu Jorg Haider. De acordo com as sondagens, o PL pode alcançar os melhores resultados dos últimos anos.

A formação política é conhecida por defender posições antifeministas, anti-imigração, anti-islâmicas e anti-União Europeia. A sua líder é, alegadamente, simpatizante nazi, uma polémica que dominou a campanha eleitoral do Partido Liberdade.

O terceiro candidato, Rudolf Gehring, com 61 anos, do Partido cristão CPO, pode alcançar até cinco por cento dos votos.

Heinz Fischer obteve em 2004 mais de 50 por cento dos votos, derrotando a conservadora Benita Ferrero-Waldner.

O presidente na Áustria tem um papel sobretudo honorífico e moral, apesar de ser o único dirigente directamente eleito pelos cidadãos.

Neste domingo, mais de seis milhões de eleitores são chamados às urnas e, pela primeira vez, jovens com 16 anos vão poder votar.