Última hora

Última hora

Campanha anti-Sida às portas do "Mundial"

Em leitura:

Campanha anti-Sida às portas do "Mundial"

Tamanho do texto Aa Aa

A Africa do Sul lançou uma ambicosa campanha na luta contra a Sida, a pouco mais de um mês do Campeonato do Mundo de Futebol.

O presidente Jacob Zuma quis dar o exemplo e decidiu partilhar com o país que não é seropositivo.

O Chefe de Estado africano tem três esposas oficiais e, no passado, reconheceu ter tido relações desprotegidas com uma mulher, portadora da doença.

Durante uma conferencia de imprensa, afirmou ter sido submetido a quatro testes, o ultimo em Abril e todos se revelaram negativos. O presidente aproveitou para encorajar os cidadãos a fazerem os testes.

Os activistas acusam o Governo sul-africano de inércia, perante uma epidemia que mata diariamente mil pessoas. Segundo o Conselho Nacional de combate à doença, pelo menos cinco milhões e 700 mil sul-africanos estão infectados. O país tem o maior número de seropositivos do mundo.

O recente programa pretende que 30 por cento da população se submeta a um exame para detectar o viruis de forma a reduzir para metade a taxa de novas infecções em 2011.