Última hora

Última hora

Construtoras ocidentais em força no salão de Pequim

Em leitura:

Construtoras ocidentais em força no salão de Pequim

Tamanho do texto Aa Aa

O mercado automóvel chinês é o qua mais cresce, em todo o mundo. As construtoras ocidentais sabem disso e é por isso que estão em força no salão automóvel de Pequim, que está agora aberto ao público.

Com uma classe edinheirada a crescer e com um apetite pelo luxo, este salão é particularmente atractivo para as construtoras de carros topo-de-gama.

A BMW é uma das empresas deste segmento presentes em Pequim. O director internacional de vendas, Ian Robertson, explica o que o grupo quer da China: “Claramente, é um mercado muito forte neste momento. Tem um grande potencial para o futuro. Os gostos e exigências dos consumidores chineses são muito importantes para nós”.

Também os citadinos, de fabrico chinês ou de marcas ocidentais, muitas vezes criados especialmente para a China, estão muito presentes, para alimentar a cada vez maior classe média. No ano passado, a venda de carros na China ultrapassou pela primeira vez a dos Estados Unidos.

“Ainda não começámos a satisfazer a procura aqui na China. A percentagem de população a ter um carro, nos Estados Unidos, é de 80% ou mais, enquanto aqui é de apenas 10%. Por isso o jogo está apenas no início e somos já maiores que o maior mercado do mundo”, explica o analista
Michael Dunne.

No ano passado, as vendas de automóveis na China estiveram a subir 50%, enquanto nos Estados Unidos caíram 21%. O mercado automóvel do país deve continuar a ter um crescimento de dois dígitos durante os próximos anos, segundo os analistas.