Última hora

Última hora

Moscovo baixa o preço do gás; Kiev prolonga contrato da base russa na Crimeia

Em leitura:

Moscovo baixa o preço do gás; Kiev prolonga contrato da base russa na Crimeia

Tamanho do texto Aa Aa

A frota russa do Mar Negro assentou base em Sebastopol, na Península da Crimeia, em 1784.
Ainda pode ficar até 2042, graças ao acordo celebrado entre Kiev e Moscovo. Depois da independência da Ucrânia, durante a presidência de Boris Ieltsin, em 1997, a Rússia comprometeu-se a deixar a base naval em 2017, onde estão destacados 16 mil marinheiros e 50 navios russos Pagam um arrendamento de 70 milhões de euros por ano.

O prolongamento do contrato de Sebastopol é interpretado como o regresso da Ucrânia à esfera de influência da Rússia e uma consequência da eleição de Viktor Yanukovich, que tinha como prioridade a melhoria das relações com Moscovo.

Uma semana depois das eleições, o presidente ucraniano visitou o homólogo russo, Dmitry Medvedev.
As relações entre os dois países deterioraram-se depois da Revolução Laranja, em 2004.

Dmitry Medvedev afirmou, entao:

“Espero que, com a eleição de um novo presidente na Ucrânia, as relações entre os dois países assumam nova dinâmica.”

Para o presidente ucraniano trata-se, principalmente, de renegociar o preço do gás russo, que tem estado a pagar ao preço europeu depois do afastamento de Moscovo.

Segundo o acordo assinado na quarta-feira entre os dois mandatários, a Ucrânia vai pagar menos 30 por cento do que o preço no mercado pelo fornecimento do gás russo.

O abatimento vai ajudar Kiev a obter um empréstimo do FMI de 9 milhôes de euros e a relançar a economia. O PIB caiu 15 por cento e a inflacção ultrapassou os 12 por cento em 2009. Kiev já tem garantido o prolongamento do contrato de arrendamento de Sebastopol para depois de 2012.