Última hora

Última hora

Expo 2010: Xangai quer mostrar ao mundo uma China moderna

Em leitura:

Expo 2010: Xangai quer mostrar ao mundo uma China moderna

Tamanho do texto Aa Aa

A Expo 2010, em Xangai, bate todos os recordes. O certame, que abre este fim-de-semana, é o mais caro de sempre e o mais participado. A cidade chinesa vai ser a vitrina de quase 200 países e gastou cerca de 40 mil milhões de euros para renovar toda a rede de transportes, criar o maior metropolitano do mundo e construir dois novos terminais de aeroportos.

Um longo trabalho para mostrar uma China moderna e uma potência económica.

Uma habitante comenta: “Durante as obras, havia pó por todo o lado, o que era bastante inconveniente. Mas, desde que acabaram, a rede de transportes é muito boa. Sinto-me bastante orgulhosa por ser uma residente de Xangai.”

Há quem denuncie expropriações para alargar o espaço da exposição. Outros criticam o esbanjar de dinheiro num país onde as desigualdades sociais são gritantes. Também se fala em vandalização do património.

“O objectivo da Expo Xangai é melhorar o nível de vida dos residentes”, comenta um residente. “Mas se os edifícios históricos forem destruídos, então a cidade deixa de ser bonita. Todos estes edifícios novos parecem caixas de cimento e limpam as coisas boas que existem na cidade”, conclui.

A Expo de Xangai espera atrair 70 milhões de visitantes. Face ao tema do evento, “Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida”, Portugal apresenta um pavilhão revestido de cortiça e exibe ao mundo as relações com a China.