Última hora

Última hora

Luta contra o tempo para salvar o Golfo do México

Em leitura:

Luta contra o tempo para salvar o Golfo do México

Tamanho do texto Aa Aa

Todos os dias, 800 mil litros de petróleo invadem o Golfo do México. A mancha negra já atingiu 200 quilómetros de comprimento e 110 de largura. O lençol de petróleo começou a engolir a costa de Luisiana e o vento continua a empurrá-lo para o Mississipi, Alabama e Flórida.

Para conter a fuga, a BP está a terminar uma estrutura de quase cem toneladas, que vai ser colocada a mais de 1500 metros de profundidade, em cima do principal poço da fuga. Depois, vai canalizar o petróleo para a superfície, onde um navio o armazenará.

A companhia petrolífera britânica também vai perfurar poços secundários para reduzir a pressão da fuga principal. Uma operação que pode durar até três meses.

Mas a maré negra ameaça mais de 400 espécies no Golfo do México. Desde ontem, estão a dar à costa tartarugas marinhas, cobertas de petróleo. O alerta é também válido para cerca de cinco mil golfinhos e para milhões de aves migratórias.

Estas águas são ainda ricas em camarões e caranguejos. O estado de Luisiana representa um terço da produção de ostras nos Estados Unidos.