Última hora

Última hora

Famílias gregas duvidam da eficácia do plano de austeridade

Em leitura:

Famílias gregas duvidam da eficácia do plano de austeridade

Tamanho do texto Aa Aa

Redução dos salários, aumento dos impostos… as medidas de austeridade atingem de forma drástica o orçamento das famílias gregas. Encontramos uma delas em Nea Peramos, a 50 km de Atenas. É a família Papadonis.

Kostas é bombeiro voluntário, uma actividade que o ocupa cinco meses por ano. O resto do tempo faz pequenos trabalhos, como a reparação de electrodomésticos: “Sou bombeiro há 20 anos e trabalho cinco meses por ano. Actualmente, o meu salário é de 800 euros e agora dizem-me que ganho demais. Não sei se vou ser despedido no próximo ano”.

Como bombeiro, Kostas recebe 896 euros do Estado. Com a redução de 30 por cento, o salário fica limitado a 626 euros. Soma com a qual terá de manter uma família com duas crianças de cinco anos. Além disso a mulher, Eva, têm apenas contratos temporários, por períodos de três meses. Actualmente, não trabalha.

Eva Papadonis questiona a eficácia do plano do governo: “A minha família, tal como outras na Grécia, não sabe se as medidas económicas do governo Papandreu vão ser eficazes e ter resultados”.

É com a incerteza sobre a eficácia do plano de austeridade em mente que Kostas parte para o trabalho. A família Papadonis faz parte do grupo de gregos que temem que os sacrifícios que são obrigados a suportar não sirvam de nada e que o país se afunde ainda mais numa crise que pode durar muitos anos.