Última hora

Última hora

Brown, o homem de ontem

Em leitura:

Brown, o homem de ontem

Tamanho do texto Aa Aa

Seamus Kearney, Euronews:

Keith Graves é o correspondente da Euronews em Londres. Keith, o que pensa destas projecções?

Keith Graves:

Podemos dizer, com alguma certeza, que o próximo primeiro-ministro será o líder dos conservadores David Cameron. O que vai acontecer? Como vai ele formar governo? Ele não têm uma maioria parlamentar. E já afirmou que não fará uma coligação com os Liberais Democratas, o que lhe daria a maioria, já disse que não o fará. Por isso acho que o que vai fazer é tentar uma espécie de coligação com os partidos mais pequenos, com o irlandês MPS. A possibilidade de uma coligação com este partido é forte, porque ele representa a ala direita da população votante da Irlanda do Norte. E pode tentar trazer para o seu lado alguns membros escoceses ou galeses. Mas se o fizer vai ter que assumir compromissos importantes. Vai ter que responder, afirmativamente, a uma série de exigências para conseguir que eles alinhem. Mas também pode decidir seguir em frente com um governo minoritário. Nesse caso o problema será um enorme período de instabilidade e uma possibilidade bem real de que, no final do ano, estejamos de novo em eleições.

Euronews:

Algumas pessoas podem olhar para as projecções e ficar surpreendidas com o facto dos Liberais Democratas não terem conseguido melhor. Havia pessoas que diziam que eles iam ter um excelente resultado. Como explica que as projecções digam o contrário?

Keith Graves:

O problema é que, com o sistema eleitoral que temos, apenas a pessoa que tiver obtido mais votos ganha. Os Liberais Democratas obtiveram um bom resultado mas não conseguiram muitos assentos parlamentares. Por isso se pede, há anos, uma mudança no sistema eleitoral, para conseguir uma representação proporcional na formação do governo. Algo que os dois partidos maioritários não querem porque o seu número de assentos se reduziria quase automaticamente.

Euronews:

Gordon Brown, o ainda primeiro-ministro, não pode sentir-se feliz ao ver as projecções. Ele é pessoas para se demitir, rapidamente?

Graves:

Nas últimas horas ouvi alguns rumores de que Gordon Brown poderia tentar ficar no poder com um governo minoritário ou fazer um acordo com os Liberais Democratas. A mim parece-me impossível. Parece-me apenas especulação. Se tivesse que atirar para o ar, diria que agora Brown vai desaparecer rapidamente, tanto como Primeiro-ministro, como líder do Partido Trabalhista. Acho que é o homem de ontem e isso é muito humilhante para ele.

Euronews:

E claro, há a economia, os mercados precisam de saber o que está a acontecer, com esta incerteza, com os resultados desta noite. Acha que os mercados vão ficar satisfeitos, vão acalmar?

Graves:

Assuma quem assumir o poder, vai ter que fazer cortes massivos na despesa pública. Talvez tenha mesmo que cortar nos salários ou nos funcionários públicos. Não foram honestos sobre isso e, a menos que apareçam rapidamente e anunciem esses cortes, acho que os mercados vão cair.