Última hora

Última hora

Maré negra nos EUA: o pesadelo já tem cheiro em terra

Em leitura:

Maré negra nos EUA: o pesadelo já tem cheiro em terra

Tamanho do texto Aa Aa

No delta do rio Mississípi, no estado americano do Luisiana, onde os pescadores têm os barcos atracados, já se sente um odor a crude forte.

Um crude com uma cor diferente devido aos dissolventes que estão a ser pulverizados sobre a maré negra, provocada pelo acidente na plataforma petrolífera no Golfo do México.

A mancha dirige-se para os pântanos na margem oriental do rio, ameaçando as reservas naturais. Há vários dias que é proibido pescar.

A tentativa de controlar a fuga na origem desta contaminação já começou. A operação consiste em colocar esta cobertura sobre a fenda, o que pode levar vários dias.

Mas para almirante da Guarda Costeira americana, a cobertura não é a solução final: “Colocar cimento e fechar o poço sim. Em simultâneo, temos de gerir as expectativas porque é a primeira vez que esta solução é utilizada a esta profundidade. Não há precedentes”

Os pescadores da região começaram a receber ajuda de organizações não-governamentais, em especial alimentos, já que muitos perderam todas as fontes de receitas, talvez por vários anos.