Última hora

Última hora

Mais de uma centena de mortos em dia mais sangrento do ano no Iraque

Em leitura:

Mais de uma centena de mortos em dia mais sangrento do ano no Iraque

Tamanho do texto Aa Aa

O Iraque viveu o dia mais sangrento do ano, com uma vaga de atentados que fez mais de 100 mortos em vários pontos do país.

O mais mortífero dos ataques ocorreu junto a uma fábrica de têxteis de Hilla, cidade de maioria xiita a 95 quilómetros a sul de Bagdade.

Dois carros conduzidos por bombistas suicidas explodiram quando os trabalhadores saíam da fábrica. Um terceiro veículo foi detonado quando polícias e ambulâncias chegavam ao local.

Na cidade portuária de Bassorá, no sul do país, três atentados também com viaturas armadilhadas visaram dois mercados bastante movimentados.

Os ataques desta segunda-feira, que fizeram também 350 feridos, acontecem três semanas depois da morte de dois líderes da Al-Qaida no Iraque, numa operação conjunta das forças norte-americanas e iraquianas.

A violência propagou-se à capital e a cidades como Fallujah e Mossul. Sessenta quilómetros a sul de Bagdade, em Suwayra, uma mesquita xiita foi alvo de um duplo atentado semelhante ao ocorrido em Hilla, com o objectivo de maximizar o número de vítimas.

Os Estados Unidos condenaram “a violência absurda” da vaga de atentados, a mais mortífera desde 8 de Dezembro do ano passado, quando perto de 130 pessoas perderam a vida em cinco atentados na capital iraquiana.