Última hora

Última hora

Governo tailandês rejeita proposta dos "camisas vermelhas"

Em leitura:

Governo tailandês rejeita proposta dos "camisas vermelhas"

Tamanho do texto Aa Aa

O governo tailandês rejeitou a mediação das Nações Unidas. Hoje, os líderes do movimento antigovernamental, “camisas vermelhas”, mostraram-se dispostos a entrar em conversações, se estas fossem mediadas pela ONU e se o exército aceitasse um cessar-fogo.

Os líderes do protesto tentam negociar, numa altura em que enfrentam acusações oficiais de terrorismo que lhes podem valer a pena de morte.
Os manifestantes apelaram à intervenção do rei, que continua em silêncio.

Entretanto, o exército acabou por recuar e decidiu não decretar o recolher obrigatório porque “controlam a situação”. Mas o estado de emergência foi decretado em mais cinco províncias, além das 17 que já estavam nessa situação.

O governo tailandês fez ainda um ultimato. Os “camisas vermelhas” têm até às 15 horas de amanhã – nove da manhã em Lisboa – para abandonarem, voluntariamente, a zona que ocupam no bairro comercial de Banguecoque. No local, estão barricadas cerca de seis mil pessoas. As autoridades pediram à Cruz Vermelha para ajudar a retirar mulheres, crianças e idosos.

De acordo com o último balanço, desde quinta-feira, morreram 31 pessoas e 230 ficaram feridas.