Última hora

Última hora

Arqueólogos de guerreiros de terracota ganham prémio Príncipe das Astúrias

Em leitura:

Arqueólogos de guerreiros de terracota ganham prémio Príncipe das Astúrias

Tamanho do texto Aa Aa

O Prémio Príncipe das Astúrias para as Ciências Sociais deste ano foi atribuído à equipa de arqueólogos que descobriu mais 114 guerreiros de terracota, todos com cores vivas, que se juntam aos cerca de 8000 em Xian, na província chinesa de Shaanxi.

A equipa vai ser galardoada com 50 mil euros e uma reprodução de uma estatueta de Joan Miró, entregues pelo príncipe Felipe de Borbón, durante uma cerimónia em Outubro.

A equipa de arqueólogos liderada por Xu Wiihong levou a cabo escavações durante mais de um ano e ficou ficou surpresa por encontrar uma coloração rica nos novos guerreiros de terracota.

As fotos dos objectos recém-encontrados serão publicadas no final deste mês. Os guerreiros de barro, com alturas de entre 1,8 metro a 2 metros, têm cabelo preto; face verde, branca ou rosa; e olhos pretos ou castanhos.

O Exército de Terracota, do primeiro imperador da china, Qin Shihuang, terá sido criado no 221 antes de Cristo e foi descoberto em 1974.