Última hora

Última hora

Alarme de museu parisiense não funcionava desde Março

Em leitura:

Alarme de museu parisiense não funcionava desde Março

Tamanho do texto Aa Aa

O roubo no museu de Arte Moderna de Paris pode não passar de um sequestro. Esta é uma das hipóteses depois do furto espetacular no centro da capital francesa.

“Le pigeon au petit pois” de Picasso, “La pastorale” de Matisse, “L’olivier près de l’Estaque” de Braque, “La femme à l‘éventail” de Modigliani e “Nature morte aux chandeliers” de Léger foram avaliados em cem milhões de euros pelo município de Paris, mas o ministério público registou um furto de 500 milhões.

De acordo com este crítico de arte, os quadros estão cobertos pelo seguro, pelo que é possível que os malfeitores contactem a seguradora e proponham a devolução dos quadros mediante o pagamento de um resgate.

Existem poucas possibilidades do roubo ter sido encomendado por um colecionador. Mas admite-se que os ladrões possam tentar trocar os quadros num mercado paralelo, nomeadamente por droga ou armas.

Entre 2004 e 2006 o museu investiu 15 milhões de euros no sistema de segurança mas parte alarme estava sem funcionar deste o final de Março. O museu encontra-se agora encerrado ao público devido à investigação policial.