Última hora

Última hora

Mais sanções para países com défices excessivos

Em leitura:

Mais sanções para países com défices excessivos

Tamanho do texto Aa Aa

Os ministros das Finanças da União Europeia querem sanções mais pesadas para países com défices excessivos.

Esta foi a principal conclusão da primeira reunião de um grupo de trabalho para reforçar a disciplina orçamental dos maus alunos da Zona Euro.

É necessário aplicar mais sanções, mas sem perder de vista o crescimento económico, alerta o ministro belga das Finanças, Didier Reynders.

“São medidas indispensáveis quando vemos o nível de défice que atingimos. Mas não basta verificar como vamos conseguir reduzir o défice na Grécia ou noutro país. É também necessário ver se nas medidas que são tomadas é possível preservar algumas vantagens para criar empregos”, defende Reynders.

As conclusões do grupo de trabalho são esperadas em Outubro. A Alemanha faz as propostas mais severas. Berlim quer a suspensão dos direitos de voto e das ajudas europeias aos países com elevados défices e a análise dos orçamentos nacionais pelo Banco Central Europeu.

Um analista explica: “Só podemos ter uma economia sustentável se tivermos crescimento económico no futuro e não apenas planos de restrições orçamentais porque, de outra forma, nunca lá vamos chegar e, eventualmente, acabaremos como a Grécia numa espiral negativa”.

O correspondente da euronews em Bruxelas resume as conclusões do encontro desta sexta-feira:
“Disciplina orçamental para os estados-membros sob o controlo de um organismo externo como, por exemplo, a Comissão Europeia. Quanto às sanções, não há coesão. Muitos países, sobretudo os menos disciplinados, querem algo mais no sentido de uma perspectiva de crescimento económico”.