Última hora

Última hora

Primeiro dia de greve da British Airways

Em leitura:

Primeiro dia de greve da British Airways

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de metade dos aviões da British Airways ficou no aeroporto londrino de Heathrow. Este é apenas o primeiro de cinco dias de greve do pessoal de cabine da companhia aérea britânica.

A British Airways garante operar mais de 60% dos voos de longo curso e mais de 50% dos médio e longo curso e fretar oito aviões com a respectiva tripulação, para transportar a maior parte dos passageiros ao destino.

As negociações, deste fim-de-semana, entre sindicatos e patronato foram inconclusivas. Os sindicatos acusam a empresa estar a perder ainda mais por ser inflexível. “Se somarmos o custo deste diferendo, em comparação com as poupanças que a companhia queria inicialmente realizar, pois bem, o custo para a companhia – em termos de planos de restruturação e o facto de o pessoal estar a protestar em vez de trabalhar – ultrapassa em muito os custos de resolução deste diferendo”, acusa Brian Boyd, do sindicato Unite.

O diferendo em causa é a reposição, exigida pelos sindicatos, das viagens a preços reduzidos para o pessoal de cabine. Um benefício retirado em Março e que faz parte do plano de restruturação da empresa, que perdeu 600 milhões de euros no ano passado.