Última hora

Última hora

Violência em Kingston

Em leitura:

Violência em Kingston

Tamanho do texto Aa Aa

A Jamaica vive momentos decisivos. O governo decidiu enfrentar os bandos que infernizam a vida da nação e os confrontos não se fizeram esperar.

Tudo começou quando o executivo assinou a extradição para os Estados Unidos de um traficante de droga. Os seus apoiantes revoltaram-se, ergueram barricadas em Kingston, incendiaram uma esquadra da polícia e atacaram outras. O executivo declarou o Estado de Emergência na capital.

“Este é um ponto de viragem para o resto da Nação. Enfrentar os poderes do Mal que penalizaram a sociedade e graças aos quais ganhámos a fama desgraçada de termos uma das capitais mais mortíferas do mundo. Temos que enfrentar estes criminosos com determinação”, afirmou o primeiro-ministro Bruce Golding ao país quando anunciou o estado de emergência pelo período de um mês.

Washington tinha pedido a extradição de Cristopher Dudus Coke, um traficante de cocaína e marijuana, em Agosto do ano passado. Kingston começou por recusar, antes de emendar a mão. A ilha das Caraíbas concluiu um empréstimo em Fevereiro com o FMI para tentar melhorar a economia deste país de 2,8 milhões de habitantes.