Última hora

Última hora

Bruxelas quer abolir vistos para bósnios e albaneses

Em leitura:

Bruxelas quer abolir vistos para bósnios e albaneses

Tamanho do texto Aa Aa

As filas à porta de embaixadas da União Europeia na Bósnia e na Albânia podem terminar em breve. A Comissão Europeia propôs acabar com os vistos para os dois países, tal como já fez com outros Estados dos Balcãs.

Mas a porta do Espaço Schengen ainda não está aberta para os bósnios e os albaneses. Falta a luz verde dos Estados membros e do Parlamento Europeu. Além disso, Tirana e Sarajevo têm ainda de respeitar várias condições, uma delas informar a população dos direitos e das obrigações, como explica Cecilia Malmström: “Houve alguns equívocos que levaram as pessoas a vir pedir asilo a alguns Estado membros. Trabalhámos com a Bósnia e com a Albânia e, eles próprios, já elaboraram uma estratégia de comunicação para informar os cidadãos do que isso significa, quais as possibilidades mas também os limites da medida. Vamos continuar atentos e a trabalhar com eles”.

A comissária europeia para os Assuntos Internos referia-se à vaga de albaneses que, após a abolição dos vistos para a Sérvia e a Macedónia, se deslocaram até à Bélgica para pedir asilo. Cerca de 800 foram repatriados em Março.

Bruxelas quer evitar cometer o mesmo erro. Uma boa política aos olhos de Ernest Bunguri, jornalista da ALSAT TV, uma televisão em língua albanesa:
“Mesmo que algumas pessoas tentem abusar, pelo menos sabem que não o podem fazer. Não penso que seja dramático como foi com a Macedónia ou a Sérvia no início do ano”.

Através do regime de vistos, Bruxelas tem implementado uma política de aproximação dos Balcãs à Europa, premiando os esforços feitos pelos países da região. Em Dezembro de 2009, foram abolidos os vistos para sérvios, montenegrinos e macedónios. Falta agora a Bósnia, a Albânia, para além do Kosovo, mas esse é outro problema.