Última hora

Última hora

República Checa oscila à direita

Em leitura:

República Checa oscila à direita

Tamanho do texto Aa Aa

Os social-democratas ganham as eleições legislativas na República Checa mas é quase certo que o país vai ser governado por uma coligação de centro-direita.

Os resultados parciais atribuem 22% dos votos aos social-democratas e 11,7% aos comunistas o que, somado, é menos que os 46% que poderão alcançar as três formações da direita, com os quase 20% do ODS, mais de 16% do TOP09 e os 11% do Coisa Pública.

O líder do ODS, Petr Mecas, agradeceu aos eleitores, afirmando que, “apesar de ainda não haver resultados finais isto significa já a oportunidade de criar a coligação para um orçamento responsável neste momento difícil que o país atravessa”.

Por seu lado, o ex-primeiro-ministro e lider social-democrata, Jiri Paroubek, reconheceu os maus resultados do seu partido e, implictamente a derrota, ao afirmar que “o país vai entrar noutro rumo político após esta eleição”.

Uma declaração que parece apontar para a indisponibilidade para tentar formar um governo, apesar de o costume ditar que o presidente Vaclav Klaus deverá convidar o líder do partido mais votado a formar o executivo.

O novo parlamento checo será multicolor, mas sem os Verdes que não conseguiram os votos necessários para eleger deputados.

A República Checa é conduzida há um ano por um governo de gestão e nem a urgência em definir um rumo para o país conseguiu galvanizar o eleitorado. A taxa de participação neste acto eleitoral não foi além dos 62%.