Última hora

Última hora

Pequim: "É urgente evitar confrontos" entre Coreias

Em leitura:

Pequim: "É urgente evitar confrontos" entre Coreias

Tamanho do texto Aa Aa

Alinhados contra a Coreia do Sul. Cerca de cem mil pessoas juntaram-se em Pyongyang, este domingo, para se manifestar contra o país vizinho.

O secretário do comité do Partido dos Trabalhadores disse aos participantes para se “prepararem para um ataque da Coreia do Sul”, afirmando que a península está “no limiar de uma guerra”. O responsável repetiu que a Coreia do Norte não lançou um torpedo contra um navio sul-coreano em Março.

O episódio – que causou a morte a 46 marinheiros -agudizou as tensões entre os países vizinhos.

Em resposta, a Coreia do Sul esperava obter da China o apoio para novas sanções contra o Norte. Mas não houve sinais nesse sentido na cimeira de sábado entre o presidente sul coreano e os chefes de governo chinês e japonês. O primeiro-ministro chinês disse apenas que “é urgente evitar confrontos”.

Um inquérito internacional apurou que um submarino norte-coreano disparou um torpedo que afundou a corveta. Pyongyang rejeita e diz que se houver sanções, responde com guerra.