Última hora

Última hora

Koehler afirma que os críticos foram longe demais

Em leitura:

Koehler afirma que os críticos foram longe demais

Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente alemão deixa o cargo, no final do primeiro ano do seu segundo mandato, ao ver-se
envolvido numa polémica sobre a participação militar da Alemanha no Afeganistão.
 
Em conferência de imprensa, ao lado da mulher, lamentou que as declarações que proferiu sobre uma matéria importante e difícil para a Alemanha tenham sido mal entendidas. Mas acrescentou que os críticos foram longe demais ao assumir que ele estava a defender uma missão da armada germânica que vai contra a constituição. Terminou dizendo que essas criticas são completamente injustificadas.
 
A polémica surgiu durante uma visita recente às tropas alemãs no Afeganistão. Na altura, o chefe de estado, disse que a manutenção dos efectivos no país tem o objectivo de defender interesses económicos.
 
Estas declarações provocaram uma onda de críticas e, apesar do chefe de estado ter afirmado que as suas palavras não foram bem compreendidas, a pressão foi grande e acabou por ver-se obrigado a abandonar o cargo.