Última hora

Última hora

Mercados abrem no vermelho

Em leitura:

Mercados abrem no vermelho

Tamanho do texto Aa Aa

A Alemanha prepara-se para anunciar novas medidas de austeridade numa altura em que aumentam os receios quanto ao colapso das contas públicas da Hungria.

As principais praças europeias abriram, hoje, no vermelho. Frankfurt abriu a perder 1,12%, Paris 1.7 e Madrid mais de 2%, o pior desempenho na Europa.

A perder está também o euro. A moeda única regista o mais baixo nível dos últimos quatro anos face ao dólar. Ao início da manhã, o euro valia 1,19 dólares.

Comparada com a divisa japonesa, a moeda única atingiu um mínimo de oito anos. A bolsa de Tóquio iniciou a primeira sessão da semana com uma queda de mais de três por cento, à semelhança de outras congéneres asiáticas.

A contribuir para as perdas está o anuncio do porta-voz do Governo de Budapeste, segundo o qual as contas públicas da Hungria estão numa situação mais complicada do que tinha anunciado o anterior Executivo.

A abalar a confiança dos investidores está, ainda, o facto de terem sido criados nos Estados Unidos menos empregos do que previsto em Maio.