Última hora

Última hora

Grandes da Europa atacam défices públicos

Em leitura:

Grandes da Europa atacam défices públicos

Tamanho do texto Aa Aa

No dia em Berlim anunciou o plano de austeridade e cortes nos subsídios mais caros à sociedade, Londres começou a preparar o terreno para o anúncio do seu plano, mas mais tarde.

O governo de Angela Merkel vai, até 2014, tentar reduzir em 80 mil milhões de euros o défice público.
A coligação no poder prevê também reduzir em 40 mil o número de efectivos militares, além de cortar nas despesas sociais associadas à família, aos desempregados e à habitação. E entre 10 mil a 15 mil postos na função pública deverão desaparecer até 2014.

Ladeada pelo ministro da Defesa, Merkel afirmou: “Vivemos tempos difíceis. Não podemos financiar tudo o que queremos, se quisermos criar um futuro. Por isso todo o orçamento vai ser baseado nos próximos anos.”

O plano apresentado por Merkel é o mais austero que o país conhece desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Do outro lado da mancha, em Londres, o recentemente empossado primeiro-ministro David Cameron prepara a população para as medidas de austeridade inevitáveis: “Pagamos hoje o preço de um sector público desmesurado se comparado com o privado. Vamos tentar recolocá-lo em linha, o que vai ser muito mais difícil do que se tivéssemos tentado mantê-lo na linha.”

Uma linha que vai ser apresentada no dia 22. O Reino Unido enfrenta um défice público na ordem dos 11 por cento. Se nada for feito, recordou ainda Cameron, em cinco anos, os juros a pagar pela dívida pública atingirão os 100 mil milhões de euros…