Última hora

Última hora

Teerão desvaloriza sanções da ONU

Em leitura:

Teerão desvaloriza sanções da ONU

Tamanho do texto Aa Aa

As sanções contra o Irão votadas pelo Conselho de Segurança da ONU foram mal recebidas no país. Trata-se do quarto pacote de sanções em quatro anos. A Turquia e o Brasil votaram contra e o Líbano absteve-se. A China e a Rússia acabaram por aprovar a resolução ao fim de cinco meses de intensas negociações.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmedinejad, desvalorizou as sanções: “- Os países que têm a bomba atómica e que se serviram dela ameaçam-nos agora sob o pretexto de que o Irão vai, no futuro, fabricar a sua bomba atómica. Pois eu digo a esses países que as sanções que nos impõem são como lenços de papel usados que deitamos para o caixote do lixo.”

Uma das consequências da resolução da ONU é o reforço do embargo de armas ao Irão. A Rússia, por exemplo, congelou de imediato a venda de um sistema de mísseis.

Nas ruas de Teerão repete-se o discurso oficial. “Todos os dias avançamos mais um pouco, os nossos cientistas nucleares continuam as suas actividades e, se Deus quiser, vamos desenvolver-nos em todos os campos. As sanções não nos vão afectar”, afirma um iraniano.

O Brasil e a Turquia consideram as sanções um erro. O regime de Teerão vai reavaliar a colaboração com a Agência Internacional de Energia Atómica.